Seja bem-vindo.

ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

20 de janeiro de 2018


Zegota


Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações. Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazis relativamente aos judeus (sendo alemã!).

Irena trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira na parte de trás da sua caminhonete (para crianças de maior tamanho).

Também levava na parte de trás da camioneta um cão, a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto. Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer.

Enquanto pôde manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.

Por fim os nazis apanharam-na. Souberam dessas atividades e em 20 de Outubro de 1943 Irena Sendler foi presa pela Gestapo e levada para a infame prisão de Pawiak, onde foi brutalmente torturada. Num colchão de palha, encontrou uma pequena estampa de Jesus com a inscrição: “Jesus, em Vós confio”, e conservou-a consigo até 1979, quando a ofereceu ao Papa João Paulo II.

Ela, a única que sabia os nomes e moradas das famílias que albergavam crianças judias, suportou a tortura e negou trair seus colaboradores ou as crianças ocultas. Quebraram-lhe os ossos dos pés e das pernas, mas não conseguiram quebrar a sua determinação. Já recuperada foi, no entanto, condenada à morte.

Enquanto esperava pela execução, um soldado alemão levou-a para um "interrogatório adicional". Ao sair, ele gritou-lhe em polaco: "Corra!".

Esperando ser baleada pelas costas, Irena, contudo, correu por uma porta lateral e fugiu, escondendo-se nos becos cobertos de neve até ter certeza de que não fora seguida. No dia seguinte, já abrigada entre amigos, Irena encontrou o seu nome na lista de polacos executados que os alemães publicavam nos jornais.

Os membros da organização Żegota ("Resgate") tinham conseguido deter a execução de Irena, subornando os alemães e Irena continuou a trabalhar com uma identidade falsa.

Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, guardadas num frasco de vidro enterrado debaixo de uma árvore no seu jardim.

Depois de terminada a guerra, tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família. A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais, ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adotivos.

Em 2006 foi proposta para receber o Prêmio Nobel da Paz... mas não foi selecionada. Quem o recebeu foi Al Gore por sua campanha sobre o Aquecimento Global.

Não permitamos que alguma vez esta Senhora seja esquecida!!

Estou transportando o meu grão de areia, reenviando esta mensagem. Espero que faças o mesmo.

Passaram já mais de 60 anos, desde que terminou a 2ª Guerra Mundial na Europa. Este e-mail será reenviado como uma cadeia comemorativa, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos (inclusive 1.900 sacerdotes católicos ), 500 mil ciganos, centenas de milhares de socialistas, comunistas e democratas e milhares de deficientes físicos e mentais e que foram assassinados, massacrados, violados, mortos à fome e humilhados, com os povos do mundo muitas vezes olhando para o outro lado...

Agora, mais do que nunca, com o recrudescimento do racismo, da discriminação e os massacres de milhões de civis em conflitos e guerras sem fim em todos os continentes, é imperativo assegurar que o Mundo nunca esqueça gente como Irena Sendler, que salvou milhares de vidas praticamente sozinha.

A intenção deste e-mail é chegar a 40 milhões de pessoas em todo o mundo. 

Una-se a nós e seja mais um elo desta cadeia comemorativa e ajude a distribuí-la por todo o mundo... Por favor, envie este e-mail às pessoas que conhece e peça que não interrompam esta cadeia. 

"A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância.

Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade." 

Irena Sendle

10 de novembro de 2017


Um butão diferente


Esses dias cheguei mais cedo na faculdade, peguei uma revista pra ler e entre os anúncios de bolsas e calças jeans, uma matéria: "Butão, o país que não sabe ser triste".

Na hora senti aquela sensação boa, veio na mente alguns lugares que eu sempre acreditei que não dava pra ser triste, tipo aqueles vilarejos da Umbria, que existem há séculos (e são lindos há séculos).

Mas logo em seguida cresceu no peito uma sensação estranha, ao lembrar que nesse mesmo dia, saindo de casa para o trabalho, o cara do radio disse que foram confirmadas mais de 260 MIL mortes causadas por fome na região da Nigéria. 

Bom, hoje não foi um dia de inspiração, nem de um texto incrível com alguma mensagem de efeito. 

Hoje eu acordei pra levar porradas de uma realidade nua, crua e singular. 

E quer saber? 

A gente precisa disso. 

Ter a consciência de uma vida real pra só aí conseguirmos fazer as mudanças que sonhamos.

Hoje eu admirei Butão, mas só consegui sentir Nigéria. 

E aí vem a boa e velha questão que transforma o painel da natureza humana, "pra onde é que os meus pés me levam?"

Aprendi muito cedo a confiar verdadeiramente na minha própria forma de ver e sentir o mundo ao meu redor. 

Quando eu tinha 11 anos, perguntei pra diretora do colégio que eu estudava se ela sabia onde é que toda a beleza do mundo se escondia. 

E ali, ela me ensinou que beleza é a coisa mais relativa que existe.

Eu não precisei ir até a Nigéria pra conhecer o que é de fato sofrer. 

Muito cedo eu vi que é fácil ajudar, na mesma medida que é difícil mudar o mundo. 

Mas eu não deixo de ver beleza ali.

Muita gente não vê, e tá tudo bem. 

Mais uma vez, a valsa da beleza e sua relatividade que eu aprendi aos 11. 

Só que hoje aos 24, ainda há muitas coisas das quais eu não consigo entender. 

A alegria de Butão e a tristeza da Nigéria, eu não enteando.

Larissa Monteiro
Extraido do facebook

7 de julho de 2017


Trem noturno para Lisboa


Se vivermos só uma parte do que há em nós, o que acontece com o resto? vivemos aqui e agora; tudo o que aconteceu antes ou em outros lugares é passado; em grande parte esquecido. 

O que teria ou o que deveria ser feito com todo o tempo que temos pela frente, em aberto e ainda sem forma? leve como o ar em sua liberdade e pesado como o chumbo em sua incerteza.

É um desejo, um simples e nostálgico sonho voltar a determinado ponto de nossa vida e poder tomar um rumo completamente diferente daquilo que fez de nós quem somos"

Deixamos algo de nós pra trás...permanecemos lá, apesar de ter partido.

E há coisas em nós que só reencontraremos ao voltar.

Viajamos ao nosso encontro quando vamos a um lugar, onde vivemos parte da nossa vida..por mais breve que tenha sido; mas indo ao nosso encontro, temos de confrontar nossa solidão. 

E não é por isso que tudo o que fazemos se deve ao medo da solidão. 

Não é por isso que renunciamos as coisas das quais nos arrependeremos no fim de nossas vidas? 

Será basicamente uma questão de autoimagem a ideia que criamos para nós mesmos do que é preciso realizar e vivenciar para que possamos aprovar a vida que vivemos?

Se for o caso; pode-se descrever o medo da morte como o medo de não ser capaz de ser quem planejamos ser.

Se cair sobre nós a certeza de que essa plenitude nunca será atingida, subitamente não saberemos mais viver o tempo que ja não pode fazer parte de uma vida inteira.

O verdadeiro diretor da vida é o acaso; um diretor repleto de crueldade, de compaixão e de encanto fascinante.

Os momentos decisivos na vida , quando sua direção muda pra sempre, nem sempre são marcados por melodramas ruidosos. 

Aliás, os momentos dramáticos das experiencias determinantes são frequentemente muitíssimo discreto.

1 de maio de 2017


O menino e eu



Juntos, nos sentamos na soleira da porta.

Eu, feito menino, me contentava em contar as estrelas.

O menino, feito homem grande, me assustava com difíceis interrogatórios.

De vez em quando ríamos os dois das coisas ditas sem graça.

Ele me olhava com expressão de dúvidas e envergonhadamente perguntou minha idade.

Fiz que não ouvi. Ele insistia em contar minhas rugas para tentar adivinhar o tempo que eu tinha.

Fiquei triste e com pena do meu menino.
Respondi. Firme e forte: Tenho 73 setembros.
Vividos e bem vividos.

Nossa como o senhor já é velhinho.....

Dei uma gargalhada meio sonora e respondi: 
Não sou velho meu menino, você é que não cresceu ainda.

Me dá a mão e vamos brincar de pega-pega.
Quem pegar primeiro, ganha um beijo
Mas, antes, vem, me abraça com a leveza do teu sorriso.

(CLAUDIO CORREIA, 02.05.17. ESTE PRIMEIRO POEMA DE MAIO, MANDO PRA VOCÈ MARCELO GONÇALVES CORREIA).


Quem me levará sou eu


Sim, eu mesmo me levarei.

Me levarei por caminhos desertos.

Ruas sem curvas.

Certamente encontrarei bêbados conversando suas verdades.

Prostitutas vendendo seus beijos e afagos.

Beatas santificadas por si próprias.

Se raiar o amanha, tomarei um cafezinho com o catador de latas e papel.

Quem me levara sou eu, deixando na minha sombra pessoas vazias e que perderam a honra, a virgindade e o caráter por imposição da suas poucas vergonhas, se é que elas tiveram vergonha.

Quem me levará sou seu, seja pra lá, seja pra cá, não me interessa.

Levarei um agasalho, um guarda chuvas e o jornal de amanha.

Jose Claudio Correia Primo


Deficiências


"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.

"A amizade é um amor que nunca morre." 


DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana (escritor gaúcho nascido em 30/07/1906 e morto em 05/05/1994 .

20 de março de 2017


Ame-se


"Esta vida vai passar rápido, não brigue com as pessoas 

Não critique tanto seu corpo, não reclame tanto

Não perca o sono pelas contas

Não deixe de beijar seus amores

Não se preocupe tanto em deixar a casa impecável

Deixe os cachorros mais por perto

Não fique guardando as taças, use os talheres novos 

Não economize tanto seu perfume predileto, use-o para passear com você mesmo 

Gaste seu tênis predileto, repita suas roupas prediletas, e daí? 

Se não é errado, por que não ser agora? 

Por que não dar uma fugida? 

Por que não orar agora ao invés de esperar para orar antes de dormir? 

Por que não ligar agora?

Por que não perdoar agora? 

Espera-se muito o natal, a sexta-feira, o outro ano, quando tiver dinheiro, quando o amor chegar, quando for perfeito… 

Olha, não vai ser perfeito, o ser humano não consegue atingir isso porque ele simplesmente não foi feito para se completar aqui… 

Então, aproveite este ensaio de vida e faça o agora ...

Seja feliz hoje com pequenas coisas elas já estão todas ao seu alcance.

Cora Coralina

8 de março de 2017


Beleza feminina


Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias, não lhes tira a beleza.


São feridas de guerra, testemunhos de que fizeram algo nas suas vidas, não estiveram anos em SPA's, viveram...

O corpo da mulher, é a prova de que Deus existe!

É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, aconchegados e nós sem querer, as enchemos de estrias, de cesarianas e outras coisas que tiveram de acontecer para estarmos vivos.

Cuidem-no!
Cuidem-se!
Amem-se!
A beleza é tudo isto!
Tudo junto!

(Paulo Coelho)

23 de fevereiro de 2017


Sintomas de que o amor acabou



Não há mais necessidade de conversar com a pessoa: 

Esse papo de que só casal de velhos que gosta de conversar é a mais pura mentira: em um bom relacionamento tem que haver amizade, porém….

Não pode ser só amizade: 

Se você está percebendo que seu parceiro está mais para melhor amigo do que para namorado e você não tem muita vontade além da de contar “os babados do dia”, é melhor já “rebaixar” o parceiro para a classe do “exclusivamente” amigo. Com o namorado (marido) a gente pode e deve sentir vontade de conversar, mas tem que ter vontade de tirar a roupa também…

Você não sente mais vontade de sexo: 

É normal que em algumas fases a gente não queira tanto sexo, já que somos seres humanos e não servimos apenas para ter desejo sexual: as vezes ficamos chateados, estressados e mais aquele monte de coisa que corta o apetite de (quase!) qualquer um. Porém, se mesmo quando você está feliz, de bem com a vida e, pior, se está há muito tempo sem transar e mesmo assim não vê o seu parceiro como opção de alívio, aí está um grande alerta vermelho!!!

Pensa muito nele no passado: 

“Ai como ele era fofo, romântico e príncipe e agora ele está grosso barrigudo e sem graça”. Parece piadinha, mas, se você só elogia ele para falar do passado, é porque ele no presente não está valendo tanto a pena. Como ninguém vive de passado, é bom arrumar um que seja bom no presente e torcer para que permaneça igualmente bom no futuro e não caia na desgraça do outro!

Você não tem mais vontade de agradar: 

Tudo bem que ninguém aguenta ficar agradando 24 horas por dia: até o super papai Noel só tirou um dia no ano. Porém, um agradinho aqui e outro acolá é sempre bem vindo e, nem precisa ser presente material, um bom sexo oral já faria muito companheiro mais feliz. Assim, se você não tem vontade nem de comprar a balinha barata que o seu parceiro tanto gosta é porque ele não está mais te instigando tanto a fazer isso (ou você que está folgada até demais!).

Você tem preferido ficar sozinha do que ficar com ele: 

Se antes vocês viviam juntos e agora você sempre tem uma desculpa para ficar sozinha: muito trabalho, muito estudo ou sei lá o que, é sinal de que ou você não gosta mais tanto dele, ou está ocupada demais para ter um namorado. Sem contar que há sempre a ideia de que quem quer arruma tempo. Não precisa ser muito tempo, mas se até o pouco que sobra você está preferindo qualquer coisa do que ele, é porque o negócio está feio.

Você começa a olhar outras pessoas: 

Peralá que ninguém é cego e, eventualmente pode acontecer de vermos uma ou outra pessoa interessante e inclusive excitante. PORÉM, olhar é uma coisa, ter vontade de trocar pelo seu parceiro é outra. O que quero dizer com isso é que: se você começar a ter vontade de trocar de companhia e não a quer apenas de colírio para descontrair o dia, é hora de pensar em avisar o parceiro que o prazo venceu…

Você começa a "ficar" com outra pessoas: Se você começar a perceber que, fora o vacilo de ter um amante (e nisso já estar correndo sérios riscos de ser pego e perder o parceiro), você ainda está vendo que ele é melhor do que o seu namorado, aí o negócio está no fim mesmo e é hora de pensar não em trocá-lo pelo amante (já que, se ele for esperto, não te levará a sério se considerar que você poderá fazer o mesmo com ele quando passar a ser oficial), mas sim em ficar sozinha ou arrumar um terceiro que não saiba desse seu vacilo de vida!

http://www.pergunteaumamulher.com/


8 Maneiras de dizer "eu te amo" sem dizer eu te amo


Dizer “Eu te amo” nem sempre é fácil. 

Se você vive triste, esperando que a outra pessoa diga essa frase mágica, saiba que há várias outras maneiras de dizer eu te amo, sem proferir essas palavras exatas e que podem ter ainda mais valor. Veja quais:

1. Como correu o seu dia?

Nada mais simples do que mostrar carinho, cuidado, preocupação do que perguntar como foi o seu dia. 

Mostra que quer saber, que se preocupa. 

E a gente só se preocupa com quem ama de verdade, não é mesmo?

2. Me perdoe!

Talvez sejam as palavras mais difíceis de dizer a alguém. 

Por isso se alguém errou com você mas coloca o orgulho de lado e pede desculpa, pode acreditar que essa pessoa valoriza demais a vossa relação para pôr tudo a perder.

3. Você está se sentindo melhor?

Só as pessoas que gostam verdadeiramente se preocupam com a sua saúde. 

Todos os dias somos bombardeados por informação, por isso se você comentou que está um pouco gripada e a pessoa lembrou de perguntar como você está, é porque você é importante!

4. Vi isso e lembrei de você.

De quem você lembra quando vê uma coisa linda, engraçada, triste ou emocionante? 

Das pessoas que você ama, não é mesmo? 

Se a outra pessoa lembrou de você e quis compartilhar até as coisas mais bobas, é porque você está sempre no pensamento dela e é com você que quer compartilhar a sua vida.

5. Se cuida!

Quem ama cuida, se preocupa, quer ter certeza que você está bem. 

Não é preciso dizer mais nada, não é mesmo?

6. Sinto sua falta!

Um simples "sinto a sua falta" ou "sinto saudades" mostra que a pessoa quer estar perto e qualquer segundo longe de você é uma eternidade. 

Quer maior prova de amor que essa?

7. Vai com cuidado!

Amar também é ter medo que alguma coisa má aconteça à outra pessoa. 

Se a pessoa que está do seu lado te aconselha a ter cuidado, ela quer que você volte rápido para os seus braços.

8. Chegou bem?

Pergunta tão simples, mas que comunica tanto! 

Essa pessoa se preocupa com o seu bem-estar e, sobretudo, não consegue sossegar enquanto não tem a certeza que você chegou bem e segura!



Só ela acreditava em seu marido


No final de 1890, um jovem mecânico estava trabalhando em uma companhia elétrica em Detroit, por US$ 11,00 dólares por semana. 
Ele trabalhava 10 horas por dia e quando voltava para casa, passava metade da noite trabalhando em seu galpão. 
Ele estava tentando inventar uma máquina nova. 
O pai dele achava que ele estava perdendo o seu tempo, e os vizinhos o chamavam de maluco.

Ninguém acreditava que os esforços daquele homem poderiam valer alguma coisa. 
Ninguém, com exceção de sua esposa. 
Ela o ajudava a trabalhar durante a noite, segurando um lampião de querosene sobre a sua cabeça. 
Lutando contra a falta de aquecimento, ela sempre pegava um resfriado…mas ela acreditava.

Anos mais tarde, os vizinhos ouviram um barulho vindo do galpão, e, então, para a sua surpresa surgiu um carro sem cavalos. 
O “doido” era Henry Ford.

Quando um repórter perguntou a Ford quem ele gostaria de ser em sua próxima vida, ele respondeu:

“Qualquer um… desde que minha esposa esteja do meu lado”.

14 de fevereiro de 2017


Comer frutas - Um desafio saudável


Comer fruta de estômago vazio.

Dr. Stephen Mak trata de doentes com câncer terminal de uma forma "não ortodoxa/menos comum" e muitos pacientes recuperam. 

Antes, ele usava energia Solar para eliminar a doença dos seus pacientes. Ele acredita no tratamento natural contra doenças no corpo. Vê o seu artigo abaixo.

"É uma das estratégias para curar o câncer. Ultimamente, a minha taxa de sucesso é de 80 %. Pacientes com câncer não devem morrer. A cura para o câncer já foi encontrada - está na forma como comemos fruta. Isso é, quer acredites ou não. Fico sentido pela morte de centenas de pacientes através do método convencional.

Comer Frutas

Todos nós pensamos que comer fruta significa comprar fruta, cortar e pormos nas nossas bocas. Não é assim tão fácil como pensamos. É importante saber como e quando comer as frutas. 

Qual é a forma correta de comer fruta? Significa não comer as frutas depois das refeições! 

Frutas devem ser comidas de Estômago vazio. Se comeres fruta de estômago vazio, elas terão um papel maior na desintoxicação do teu sistema, fornecendo-te com muita energia para perderes o peso e outros bens de saúde. As frutas são os alimentos mais importantes. 

Digamos que tu comes duas fatias de pão e depois uma fatia de fruta. A fatia de fruta está pronta a ir direto aos intestinos através do estômago, mas é impedida de ir devido ao pão que comeste antes da fruta. Enquanto isso, a comida toda de pão e fruta apodrece e fermenta, tornando-se em ácido. No minuto que a fruta entra em contato com a comida no estômago e sucos digestivos, a massa inteira de comida começa a estragar o seu efeito.

Portanto, por favor, coma a tua fruta de estômago vazio ou antes das refeições! 

Tens ouvido pessoas a queixarem-se: 

Todas as vezes que como melão, após as refeições, o meu estômago incha; quando como uma banana, sinto vontade de correr para a banheiro, etc...etc..

Na verdade, tudo isso não aparecerá se comermos fruta de estômago vazio.

A fruta mistura-se com a outra comida, apodrecendo/sendo digerida e produz gases, daí que tu inchas! 

Cabelo esbranquiçado, calvice, explosões nervosas e circos negros abaixo dos olhos (olheiras), tudo isso não acontecerá se tu comeres fruta de estômago vazio.

Não tem nada de " algumas frutas, como Laranja e Limões, são ácidas", porque todas as frutas se tornam Alcalinas no nosso corpo, de acordo com o Dr. Herbert Shelton que fez investigação a esse propósito.

Se tu aprenderes a forma correta de comer fruta, terás o segredo da beleza, longevidade, saúde, energia, felicidade e peso normal.

Quando precisares de beber suco de fruta, bebe apenas suco natural de fruta, não de latas, pacotes ou garrafas. Nem vale a pena beberes suco que tenha sido aquecido.

Não comas fruta cozida, porque não obterás os nutrientes de forma nenhuma. Somente sentirás o sabor. Cozinhar destrói todas as vitaminas. 

Mas, comer a fruta por inteiro é melhor que beber o suco.

Se tiveres que beber o suco natural de fruta, bebe bocado a bocado e devagar, porque deves deixá-lo misturar-se com a tua saliva antes de engolires.

Podes entrar num jejum só de frutas por 3 dias, para limpar ou desintoxicar o teu corpo.

Apenas come fruta e bebe suco natural de fruta por 3 dias. Estarás surpreendido quando os teus amigos te disserem o quão radiante pareces!

Frutas

Kiwi: pequena mas poderosa. É uma boa fonte de potássio, magnésio, vitamina E & Fibra. Contém duas vezes mais vitamina C do que a Laranja.

Maçã: Uma maçã por dia previne a vinda do câncer. Embora a maçã tenha uma quantidade pequena de vitamina C, ela tem antioxidantes & flavonóides que fortificam o efeito da vitamina C assim, ajudando a reduzir o risco do câncer do Cólon, ataques cardíacos e tromboses.

Morango: Fruta protetora; morango tem o conteúdo mais alto do efeito de antioxidantes entre grandes frutas e protege o corpo de causadores do cancer, entupimento dos vasos sanguíneos e sem radicais.

Laranja: a medicina mais doce. Comer 2-4 Laranjas por dia pode ajudar a prevenir a constipação, baixar o colesterol, prevenir e dissolver pedras nos rins assim também como diminuir o risco de câncer do Cólon.

Melão: O mais fresco a saciar a sede. Composto de 92% água, e também composto por uma grande dose de glutathione, que ajuda a reforçar o nosso sistema urinário. Também é uma fonte chave de lycopene - o oxidante que combate o câncer. Outros nutrientes que se encontram no melão são, a vitamina C & o Potássio.

Goiaba & Papaia: Lideram no conteúdo de vitamina C. Elas são as campeãs pelos seus grande conteúdos em vitamina C.

A Goiaba é também rica em fibra, que ajuda na prevenção da constipação/congestão.

Papaia é rica em carotene; que é bom para os olhos.

Beber água ou bebidas geladas depois das refeições = Cancer, acreditas nisso? Para aqueles que gostam de beber água ou bebidas geladas, este artigo é aplicável para eles.

De qualquer modo, a água gelada ou bebidas irão solidificar o conteúdo oleoso que acabaste de ingerir. Abrandará a digestão. Uma vez que esse 'lodo' reagir com o ácido, ele quebra-se-a e será absorvido pelos intestinos mais rápido do que a comida sólida. Aninhar-se-á nos intestinos, e muito brevemente tornar-se-á em gordura e levará ao câncer!

Melhor é beber sopa ou água quente depois das refeições.

13 de fevereiro de 2017


Um caso impressionante de amor.



A história começa com um homem que um dia encontrou uma carteira na rua. 
Isso pode acontecer a qualquer um. 
Porém, dentro dela, encontrou algo que o deixou atônito e nesse momento soube que não podia fazer outra coisa que não fosse encontrar seu proprietário.

Quando voltava para casa, hoje, encontrei uma carteira, ele começa o relato, 

Dentro dela havia uma carta muito antiga. 
Tinha 60 anos. 
Tentei buscar na carteira qualquer informação sobre o emissor ou o destinatário da carta, mas foi em vão. 
Além de 3 dólares e da carta em questão, não havia mais nada dentro dela que pudesse me ajudar a encontrar o proprietário. 
Na carta uma tal de Hannah mencionava alguém chamado Micheal. 
Escrevia que não poderia se casar com ele porque sua mãe a havia proibido.

“Profundamente, senti que deveria devolver esta recordação à pessoa a quem ela pertencia. 
Embora isso fosse mais fácil de falar do que fazer. 
Por sorte, no remetente da carta, se encontrava o número de telefone de Hannah.

Quando liguei para o número encontrado, me disseram que Hannah não morava mais ali. 
Ela atualmente morava em um asilo. 
O lugar não ficava muito longe de onde eu estava e eu então decidi ir lá, para conhecer a história que se escondia por trás de tudo aquilo.

Chegando lá, uma das enfermeiras me levou a um apartamento muito acolhedor, no terceiro andar. 
Lá estava Hannah, uma senhora muito gentil, com um sorriso bondoso e humilde. 
Quando contei a ela o porquê de minha visita, a senhora me respondeu que essa foi a última carta que escreveu. 
Nunca se casou porque nunca havia encontrado uma pessoa como ele. 
Ninguém era tão bom como o seu Michael.

Deixei a carta com ela, porém levei a carteira comigo porque queria devolvê-la a seu proprietário em pessoa. 
E quando estava a ponto de sair, uma enfermeira me chamou e exclamou: 
Espere um momento! 
Esta carteira pertence aos senhor Goldstein, do oitavo andar. 
A reconheço em qualquer momento porque ele a perde o tempo todo!

Fiquei atônito! Essa era a informação que eu necessitava! 
Sem pensar duas vezes, chamei o elevador e subi ao oitavo andar.

Lá em cima, vi um senhor de idade lendo. 

Me aproximei dele e sussurrei: 
Acho que sei onde está Hannah, nesse momento. - O rosto dele ficou totalmente pálido e ele me olhou desconcertado, perguntando: A minha Hannah? 

Sabe onde ela pode estar? Como está? Meu Deus... nunca me casei porque ela foi a única a quem amei de verdade...” 

Sem pensar duas vezes, peguei a mão dele, fomos até o elevador e descemos ao apartamento onde havia encontrado com Hannah.

O idoso se aproximou da mulher e exclamou: “Hannah! Sou eu, Michael. Se lembra de mim?” 
Ele o olhou sem poder acreditar no que estava acontecendo. 
A única coisa que conseguiu exclamar foi: “Michael! É você mesmo? Meu amor!” 
Levantou-se e, muito devagar, começou a ir em sua direção. 
Os dois tinham lágrimas nos olhos quando se abraçaram. 
Eu também soltei uma lágrima, pois não podia acreditar que essa história fosse real.

Três semanas depois, recebi um telefonema do asilo. 
A enfermeira me perguntou se eu poderia ir lá, no domingo, pois Michael e Hannah iriam se casar e queriam que eu estivesse presente. 
Com estas palavras termina o relato e o que podemos dizer é que o verdadeiro amor é mais forte do que qualquer adversidade e desejamos que todos pudéssemos amar uns aos outros com um amor tão forte como esse.

Fonte: Internet

6 de fevereiro de 2017


Duas décadas de omissões



Estar longe de você não é ruim.
Ficar sem seu cheiro não é ruim.
O medo de perder você não é ruim.
Ficar sem seu abraço não é ruim.

Tudo isso se supera.

Ruim é não acreditar em você
Você não mente.
Você omite.
Alguém já te disse isso?
Eu sempre quis acreditar em você.
Você sempre me surpreende.
Sabe aquelas pessoas que nunca aprenderam a conviver com a verdade?
Você é uma delas.

A verdade te dá coceiras.
A verdade te faz vomitar.
Uma omissão talvez seja pior do que uma mentira.
A omissão te deixa escapatória.

- Esqueci-me de te contar. Desculpa tá!
- Tá legal. Tá desculpada.
Não faça mais isso. Isso é feio.

São duas décadas de omissões.

Se eu fosse medir a omissão em quilômetros talvez desse para eu ir a São Paulo.
Talvez desse para eu voltar também.

E quando eu chegasse ainda teria alguns metros de lambuja.

Triste sina. A minha e a sua.
Coceiras e vômitos.
Raivas e desgostos.

Author: Edimar Monteiro
edimar.monteiro@hotmail.com

2 de fevereiro de 2017


Dez sinais de que o seu relacionamento chegou ao fim


1. Você torce para que ele termine o relacionamento

Acabar um relacionamento, seja um namoro de alguns meses ou um casamento de muitos anos, nunca é fácil.

“Dificilmente alguém quer carregar esse fardo.

É muito mais fácil bancar o papel de vítima do que o de responsável pelo ponto final”, diz Miria.

Por isso, não se sinta culpada se, ao notar primeiro que a relação chegou ao fim, você tente sabotar o convívio com ele.

“É até um pouco inconsciente.

A pessoa muda o comportamento, esperando uma atitude do outro”, explica Denise.

E não se esqueça de que a recíproca pode ser verdadeira: notou isso no parceiro?

Talvez ele considere que o fim esteja próximo.

2. Os outros homens começam a parecer mais interessantes 

Antes você achava as qualidades do seu parceiro imbatíveis, agora, todo mundo parece mais bacana... “No relacionamento pleno, o que outros homens fazem não desperta excessivamente a atenção da mulher. Se ela passa a notar as qualidades de homens no trabalho, na academia, na rua, e começa a achar que merece alguém mais interessante é porque algo está morrendo nessa relação”, opina Miria, que acredita que essa mudança seja o maior sinal de desinteresse em manter ao seu lado quem ali está.

3. Ele se torna mestre na arte de desaparecer

Todo mundo já ouviu desculpas esfarrapadas na vida. Em um namoro, porém, elas são bem mais sérias. “O homem começa com aqueles clichês de ‘eu ia te ligar, mas fiquei preso em uma reunião', ‘eu queria que você tivesse ido ao churrasco, mas não deu tempo de avisar’. Isso não existe. Quem quer dá um jeito, arruma um tempo”, garante Denise. Segundo a psicóloga, esse comportamento é um indício de que o parceiro possa estar com vontade de pular fora.

4. O interesse e a admiração somem

E dão lugar à indiferença e à falta de respeito. “A admiração mútua é um termômetro de que o casal está bem. Se acaba de um dos lados, é porque a temperatura entre os dois baixou”, pondera Denise. Ela esclarece que os sinais estão em críticas excessivas – “Nada que o outro faz está bom” – e na falta de interesse nos projetos do outro, seja um plano de assistir a uma peça de teatro ou de fazer uma viagem bacana. Miria ressalta que, nesse sentido, entrar no “modo tanto faz” também é um sinal negativo: “Se nada no outro me move ou mesmo me incomoda, é sinônimo de indiferença. É o fim do amor”.

5. Um esconde do outro os contatos com o mundo exterior

Para atender uma ligação no celular, ele – ou você – prefere se afastar e falar baixo, para não ser escutado/a; os perfis nas redes sociais tornam-se minimalistas, sem muitas fotos ou postagens pessoais ou sobre vocês dois... E isso de repente, sem uma razão plausível. “Quando uma das partes decide ser ‘misteriosa’ com a outra, o relacionamento já não é mais prioridade. Se fosse, isso tudo continuaria sendo compartilhado normalmente”, afirma Denise.

6. Pensar nele passa a ser mais incômodo que prazeroso

Quando o relacionamento é saudável, a mera lembrança de que o outro existe é acompanhada de um sorriso no rosto. Pequenas mancadas do dia a dia são superadas. Mas tudo muda quando começa o fim, de acordo com Miria. “Ele surge no pensamento da mulher porque algo deu errado, não saiu como ela queria, e aquilo a deixa brava pelo resto do dia. Se antes ela pensava nele para armar um jantar romântico, agora ela fica com ele na cabeça para não esquecer de brigar mais tarde”, exemplifica a coach de relacionamento.

7. Um dos dois não quer mais sexo – ou mesmo mãos dadas

Se não houver um problema ou mudança grande na vida de um dos dois – algo relacionado à família ou ao trabalho –, a falta de interesse sexual é um alarme estridente de que o relacionamento ruma para o fim. “Qualquer desculpa passa a ser motivo para não ter sexo: um relatório, um compromisso no dia seguinte bem cedo, dor no corpo depois da academia... Só que é tudo desinteresse no outro mesmo”, diz Denise. Miria vai um pouco além e destaca que, em muitos casos, até carinhos não-sexuais são rejeitados: “A proximidade física é evitada ao máximo. Nem um abraço ou mãos dadas fazem falta”.

8. Atividades a dois ficaram em um passado distante

Em um jantar, passeio no parque ou festa do trabalho, sempre há alguém a mais com vocês. Pode ser um parente ou um casal de amigos, o fato é que estarem os dois, e apenas os dois, nunca mais acontece. “Quando um não quer mais ficar só com o outro, é porque algo entre os dois já morreu. A companhia do parceiro deveria ser suficiente para um programa de casal”, defende Denise. Miria atribui essa necessidade de gente de fora a um vazio que se forma entre o casal no fim da relação. “Um não preenche mais o outro a ponto de proporcionar ‘quality time’, então outras pessoas são recrutadas para, quem sabe, preencher essa lacuna”, explica.

9. A sintonia desapareceu

Lembra quando você pensava em uma lasanha e ele a convidava para ir a uma cantina? Ou quando ele queria assistir a um filme e você comprava os ingressos sem saber disso? Pois é, quando o relacionamento começa a acabar, essa afinação some. Miria acredita que isso se dê porque “o parceiro reflete muito do que o outro é naquele momento bom, é criada uma conexão energética. Se um deles muda de sintonia, desafina a ligação”. Se estiver nesse ponto, não se assuste se você pensar na lasanha e ele te convidar para ir à churrascaria.

10. Ele se tornou agressivo

Não importa se a agressão é verbal (uma briga porque você quer ir ao teatro e ele acha os ingressos muito caros, por exemplo) ou física (empurrar, dar tapas, socos – bater mesmo): quando ela se manifesta, acabou o relacionamento. “Para chegar a esse ponto de falta de respeito, é porque não há mais consideração. E sem consideração não dá para se manter em uma relação de casal”, resume Denise.

http://revistaglamour.globo.com/Amor-Sexo/noticia/2016/06/relacionamento-10-sinais-de-que-o-seu-chegou-ao-fim.html

14 de dezembro de 2016


Convicção


Sempre fui convicto do que faço. Em relação aos outros e às outras coisas. Não concernente a nós.

Agora sim. Convicto estou.

É vero que um relacionamento chega ao fim. Sabia que este chegaria. Tinha certeza.

Chegou.

Não sei como chegou, mas chegou.

Já tinha chegado. Estávamos empurrando com a barriga. Estávamos nos enganando.

Há varias maneiras de de romper um relacionamento. Uns mais traumáticos, outros menos.

Há várias maneiras de absorver a ruptura traumática. A fortaleza é nossa.

A dimensão da traumaticidade quem dará somos nós, os partícipes.

Caso eu me prolongue na verborragia, as palavras jorrarão, as lamúrias surgirão e as desculpas esfarrapadas brotarão.

Deixemos que nossos íntimos absorvam o impacto da irreparabilidade.

Deixemos que o tempo nos cure.

11 de outubro de 2016


Prazer ou orgasmo?


Eu achava que a sensação de prazer era orgasmo.

Havia algo que me deixava intrigada. 

Eu ouvia minhas colegas falarem de orgasmo e eu via que era diferente do que eu sentia.

Eu achava que eram os homens que comandavam o sexo na cama, até que na minha vida veio você.

E me ensinou tudo do sexo.

Desde então passei a estar mais confortável no sexo.

Você me ensinou a aceitar como sou e o mais importante, levou-me a conhecer prazeres que até então jamais havia sentido.

Você me ensinou a gozar.

Comecei a praticar sexo oral com você.
Nunca tinha feito.
Com você cheguei ao auge do prazer.
Tem sido maravilhoso sexo oral com você.
Sinto prazer em te chupar. 

Lembro do meu primeiro orgasmo com você.
Meu primeiro orgasmo.
Meu corpo inteiro tremia e latejava.
Eu sentia um calor imenso.
Foi o ápice de tudo que havíamos feito naquele momento.

Depois que passou o êxtase meu corpo continuava latejando.
Demorei muito a sentir essa explosão de gozo e prazer.

Eu te olhava e você me olhava
Meu Deus!
Era você!
Por um breve momento foi você meu homem, meu gozo, meu incontrolável gemido de prazer. 

Desde então nosso sexo é cada vez mais gostoso.
Algemas quebradas, eu dona de mim.
Nunca fingi sentir prazer com você.
Nunca mesmo.

Você tem conseguido me fazer chegar lá até quando o sexo é oral, anal.
Aquele dia  foi impar.
Até hoje deliro só de pensar. 

Quero te falar do meu primeiro orgasmo sozinha.
Não pensando em você.
Pensando no cacete!

O prazer do orgasmo é mesmo especial.
Direi excepcional.
Estava morrendo de vontade.
Comecei a me tocar.

Já estava sentindo contrações e gemendo.
Eu sempre tive vontade, mas sentia medo, vergonha.
Foi maravilhoso conhecer meu corpo e sentir ele me dando boas vindas.

Até que enfim cheguei lá sozinha.
Pensando no teu cacete e no que você faria e diria naquele momento. 

Você é meu parceiro, meu amigo e tem sido um grande amigo e tem sido um grande homem nesse aprendizado e descobertas.

Não me vejo sem você.
Sexo gostoso e prazeroso com você.
Verdade.
Não consigo descrever o que o seu corpo provoca no meu.

Na verdade você tem o cacete bonito.
Acho perfeito sua ereção.
Você tem um fôlego e um controle admirável.
Deixa eu te falar.
Adoro teu bumbum.
Tesão puro.
Não nego que quando relaxa ainda assim o cacete me excita pela maneira como repousa.

Adoro esse jeitão macho que você tem.

Enlouquece-me e me deixa tonta imaginar como será seu desempenho doravante . 
Mais experiente.

Não entendo esse poder que exerce sobre mim.
Fascinante esse jeito macho de ser.
De me enlouquecer e de me dominar.
Às vezes não me deixa saída. Indecifrável é você! 

Às vezes penso que te conheço e em outro momento não sei quem é você.

Cacete duro.
Macho em palavras.
Mexe com as minhas emoções. 

Quem é você ?
Porque me dominas?
Provoca em mim medo de ficar só.
Medo de não saber ficar e viver sem você. 

Porque sua ausência me apavora?

Assombra-me você no mesmo instante em que me impulsiona a ser mulher, a ser livre, a gozar e ser feliz. 

Quem é você?

Meu homem, meu medo, meu gozo e minha solidão. 

Porque me tens aprisionada ao teu corpo quando quero liberdade?. 

Sem saída estou. 
Estou presa a você.

Fonte: Retirado da internet

21 de maio de 2016


Quantos anos tenho?


Quantos anos tenho?

Tenho a idade em que as coisas são vistas com mais calma, mas com o interesse de seguir crescendo.

Tenho os anos em que os sonhos começam a acariciar com os dedos e as ilusões se convertem em esperança.

Tenho os anos em que o amor, às vezes, é uma chama intensa, ansiosa por consumir-se no fogo de uma paixão desejada. E outras vezes é uma ressaca de paz, como o entardecer em uma praia.

Quantos anos tenho? Não preciso de um número para marcar, pois meus anseios alcançados, as lágrimas que derramei pelo caminho ao ver minhas ilusões despedaçadas…
Valem muito mais que isso
O que importa se faço vinte, quarenta ou sessenta?!
O que importa é a idade que sinto.
Tenho os anos que necessito para viver livre e sem medos.
Para seguir sem temor pela trilha, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios.
Quantos anos tenho? Isso a quem importa?
Tenho os anos necessários para perder o medo e fazer o que quero e o que sinto.
José Saramago

10 de novembro de 2015


Não tenho tempo



Sabe, meu filho, até hoje não tive tempo para brincar com você. Arranjei tempo para tudo, menos para ver você crescer. Nunca joguei dominó, dama, xadrez ou batalha naval com você. Percebo que você me rodeia, mas sabe, sou muito importante e não tenho tempo.

Sou importante para números, conversas sociais, uma série de compromissos inadiáveis… 
E largar tudo isso para sentar no chão com você… Não, não tenho tempo!

Um dia você veio com um caderno da escola para o meu lado. Não liguei, continuei lendo o jornal. Afinal, os problemas internacionais são mais sérios que os da minha casa.

Nunca vi seu boletim nem sei quem é a sua professora. Não sei nem qual foi sua primeira palavra; também, você entende… Não tenho tempo…

De que adianta saber as mínimas coisas de você se eu tenho outras grandes coisas a saber?

Puxa, como você cresceu! Você já passou da minha cintura, está alto! Eu não havia reparado nisso. Aliás, não reparo em quase nada, minha vida é corrida.

E quando tenho tempo, prefiro usá-lo lá fora. E se o uso aqui, perco-me diante da TV. A TV é importante e me informa muito…

Sabe, filho, a última vez que tive tempo para você, foi numa cama, quando o fizemos!

Sei que você se queixa, que você sente falta de uma palavra, de uma pergunta minha, de um corre-corre, de um chute na bola. 

Mas eu não tenho tempo…

Sei que você sente falta do abraço e do riso, de andar a pé até a padaria, para comprar guaraná. De andar a pé até o jornaleiro para comprar “Pato Donald”. Mas, sabe, há quanto tempo não ando a pé na rua? Não tenho tempo…

Mas você entende, sou um homem importante. Tenho que dar atenção a muita gente. Dependo delas… Filho, você não entende de comércio! Na realidade, sou um homem sem tempo!

Sei que você fica chateado, porque as poucas vezes que falamos é monólogo, só eu falo. E noventa por cento é bronca: quero silêncio, quero sossego! E você tem a péssima mania de vir correndo sobre a gente. Você tem mania de querer pular nos braços dos outros… 

Filho, não tenho tempo para abraçá-lo.

Não tenho tempo para ficar com papo-furado com criança. Filho, o que você entende de computador, comunicação, cibernética, racionalismo? Você sabe quem é Marcuse, Mc Luhan?

Como é que vou parar para conversar com você? Sabe, filho, não tenho tempo, mas o pior de tudo, o pior de tudo é que…

Se você morresse agora, já, neste momento, eu ficaria com um peso na consciência, porque, até hoje, não arrumei tempo para brincar com você.

E, na outra vida, por certo, Deus não TERÁ TEMPO de me deixar, pelo menos, Vê-lo!

Author: Neimar de Barros

DEIXE SEU RECADO

Nome

E-mail *

Mensagem *

VISITAS AO SITE

LER E REFLETIR

ÁREA PUBLICITÁRIA

Copyright © Escritos e relatos™ is a registered trademark.

Designed by Templateism. Hosted on Blogger Platform.